Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

EUA cortará parte do financiamento à ONU

Embaixador dos EUA nas Nações Unidas, Nikki Haley avisa as pessoas deslocadas internamente (IDP) enquanto ela está sendo evacuada por sua força de proteção, após uma manifestação na ONU Protection of Civils (PoC) em Juba, Sudão do Sul, em 25 de outubro de 2017 . Nikki Haley chegou a Juba em 25 de outubro, procurando uma solução para um conflito de quase quatro anos que criou uma devastadora crise humanitária.  Haley, o mais alto oficial enviado à África pela administração do Trump, está em uma turnê que também a levou para a Etiópia e incluirá a República Democrática do Congo

A embaixadora dos Estados Unidos na ONU, Nikki Haley anunciou que o país cortará parte de seu financiamento à organização. Ela disse:

"Hoje, as Nações Unidas tem um novo orçamento fiscal para  2018-2019. Entre muitos outros sucessos, os Estados Unidos negociaram uma redução de mais de US $ 285 milhões em relação ao orçamento final 2016-2017. Além dessas economias significativas de custos, reduzimos as funções de gerenciamento e suporte da ONU, reforçamos o apoio às principais prioridades dos EUA em todo o mundo e criamos mais disciplina e responsabilidade em todo o sistema das Nações Unidas.

A ineficiência e o excesso de gastos das Nações Unidas são bem conhecidos. Não vamos mais deixar a generosidade do povo americano ser aproveitada ou permanecer desmarcada. Essa redução histórica nos gastos - além de ser um movimento em direção a uma ONU mais eficiente e responsável - é um grande passo na direção certa. Embora estejamos satisfeitos com os resultados das negociações orçamentárias deste ano, você pode ter certeza de que continuaremos buscando maneiras de aumentar a eficiência da ONU, protegendo nossos interesses "

A ação parece uma resposta à votação da Assembléia das Nações Unidas que condenou o reconhecimento de Jerusalém como a capital de Israel.

Nikki, no dia da votação disse: "Os Estados Unidos lembrarão deste dia na Assembléia Geral nos atacou em nosso ato que exercemos direito como uma nação soberana"

A informação é do Breitbart

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/