Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Flávio Bolsonaro quer criar a semana das vítimas do comunismo, no Rio de Janeiro

Resultado de imagem para flavio bolsonaro

O deputado-estadual Flávio Bolsonaro (PSC-RJ) apresentou um projeto para criar a Semana estadual em memória das vítimas do comunismo, no estado do Rio de Janeiro, cuja data seria de 1 a 8 de novembro.

A justificativa dele foi a seguinte: "A revolução bolchevique, na Rússia, inspirou e provocou uma série de processos de invasões imperialistas e revoluções de orientação marxista que, deixaram, como triste marca, mais de uma centena de milhões de mortes, em sua maioria, vítimas civis inocentes. Foram 25 milhões de vítimas na própria Rússia; no mínimo outras 10 milhões na vizinha Ucrânia - bem como centenas de milhares nos diversos Estados soberanos sobre os quais foi estabelecida a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS) ou “cortina de ferro”. Foi também o marxismo o responsável pelo assassinato brutal de, aproximadamente, 25% da população do Camboja durante a implantação do comunismo naquele país, tragédia conhecida como “genocídio cambojano”, conduzido por Pol Pot e seu Khmer Vermelho. Na China, durante os primórdios da instalação do comunismo; ao final dos anos 40, quando da efetiva implantação da “República Popular da China”; bem como, posteriormente, nas fases conhecidas como “Grande Passo Adiante” e “Revolução Cultural”, em que pese algumas divergências, o saldo de mortos não ficou abaixo de trinta milhões – tendo como base estimativas modestas. Na América Latina, foram diversos os episódios sangrentos em decorrência da implantação ou tentativas de implantação de regimes marxistas, com ênfase para Cuba. Embora o número de mortes na América Latina seja inferior àquele verificado na própria Rússia, na Ucrânia ou na China, merece ser levado em consideração. Além dos milhões de vítimas do comunismo, há que ser feita referência à destruição de qualquer sombra de democracia ou pujança econômica nos regimes de orientação marxista – caminho, infelizmente, seguido hoje pela vizinha Venezuela. Assim, o estabelecimento de uma “Semana Estadual em Memória das Vítimas do Comunismo” tem como virtude alertar às gerações mais jovens e vindouras sobre os perigos de uma doutrina que, jamais se mostra verdadeiramente até que assuma em suas mãos o poder".

Mais informações do projeto podem ser encontradas aqui

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/