Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Brasileiro que mora nos EUA defende porte de fuzis: 3,5 milhões de americanos possuem


Por Pedro Augusto

O empresário brasileiro Paulo Figueiredo Filho, que mora nos Estados Unidos, fez um post em seu Facebook explicando as leis que regulamentam o porte de fuzis no país. O post foi publicado porque a esquerda noite-americana voltou a propagandear o controle de armas junto com os progressistas brasileiros.

Veja o que Paulo Figueiredo Filho disse:

"ALERTA DE FAKE NEWS:

"Massacre reabre debate sobre porte de armas nos EUA", dizem os jornais que vocês estão lendo.

Vamos organizar essa bagunça. Se você realmente quer entender a legislação de armas americanas, leia:

1. As informações da imprensa dizem que Stephen Paddock tinha mais de 40 armas, dentre as quais muitos fuzis. Ok.

2. Não há nada de errado ou anormal em ter fuzis. Fuzis são excelentes armas - inclusive para defesa residencial. Eu mesmo tenho um AR15, juntamente com outros 3,5 milhões de americanos que possuem este que é um dos mais populares rifles aqui nos EUA e praticamente idêntico aos usados pelas forças armadas americanas.

3. Por que praticamente idêntico? Porque o AR15 civil não é automático, mas semi-automático. A diferença é simples: armas automáticas são aquelas onde você aperta o gatilho uma vez e ela faz múltiplos disparos enquanto ele permanecer apertado.

4. Uma arma semi-automática na mão de um exímio atirador pode disparar 60 projéteis por minuto. Uma arma automática dispara até 1000. Paddock teria usado armas automáticas*.

5. A venda de TODAS as armas automáticas novas JÁ É proibida nos EUA desde 1986 (portanto, há 31 anos), em uma legislação conhecida como por aqui como FOPA, aprovada (juro) pelo republicano e ícone da direita, Ronald Reagan.

6. As armas Paddock tinham eram ilegais? Provavelmente sim! Não há ainda como afirmar com certeza porque ele pode a) ter comprado suas armas automáticas antes de 1986; b) ter comprado de um terceiro que tinha as armas antes de 1986, desde que tenha sido aprovado por um longo processo na ATF (agência federal que regula armas, álcool e tabaco) e pago bem caro por elas. Mas são alternativas improváveis.

7. Outras possibilidades são que o assassino: a) tenha comprado suas armas no mercado negro; b) tenha modificado armas semi-automáticas legalmente compradas para que se tornem automáticas, o que é, além de complicado, um crime federal. Mas vocês sabem, criminosos não são muito bons em respeitar as leis.

[*Existe também uma possibilidade levantada recentemente dele ter usado um dispositivo chamado Bump Stock. Com ele, você consegue manipular um gatilho comum de uma arma semi-automática para fazê-la disparar bem mais vezes em um curto espaço de tempo do que seria humanamente possível sem tal aparato. É uma "gambiarra" feita para tentar aumentar a cadência de tiros de uma arma semi-automática e burlar a lei.]

8. Por que não banir então a venda de TODOS os fuzis? Bem, porque já tentaram isso e... não funcionou. Em 1994 o presidente Bill Clinton aprovou uma legislação conhecida como Federal Assault Weapons Ban, proibindo a venda de QUALQUER fuzil por 10 anos. E assim foi.

9. Qual foi o resultado? Bem, basicamente os estudos sérios conduzidos chegaram à unânime conclusão de que o banimento de fuzis não tiveram nenhum efeito no número de homicídios (cito aqui alguns: o da Task Force on Community Preventive Services, o do National Research Council, o do DOJ/National Institute of Justice, e o da University of Pennsylvania,). Diante dos dados incontestáveis, a legislação não foi renovada e a venda de fuzis semi-automático voltou a ser permitida em 2004.

10. Mas por que alguém precisa de um fuzil, mesmo que semi-automático? Bom, primeiro porque, como eu disse, é uma tremenda arma para defender a sua casa. Segundo, porque as armas aqui não são vistas apenas como ferramentas de defesa contra bandidos, mas também contra um potencial governo tirano. Governos não tentam gracinhas com uma população que tem 9 armas para cada 10 habitantes. Americanos aprenderam isso em 1776 e, se você tem dúvidas se isso ainda importa, pergunte aos nossos vizinhos na Venezuela.

11. Ou seja: a esquerda está novamente usando uma desgraça monstruosa para fazer uma "síntese confusa" (citando o Olavo de Carvalho) proposital que atenda a sua agenda ideológica. Todos os jornais no Brasil (e alguns aqui nos EUA) misturam intencionalmente uma das legislações mais liberais e efetivas do mundo com um massacre cometido por um louco com armas provavelmente JÁ ilegais. Não, nossos jornalistas não se importam em explorar a morte de 59 pessoas para cumprir seus objetivos.

12. Com o Trump na presidência e republicanos controlando o Congresso, não há NENHUMA CHANCE da discussão de fato acontecer em nenhum nível. Não há debate reaberto. São só as Fake News, como eu disse, vendendo a agenda ideológica de sempre. O assunto já foi encerrado há pelo menos 13 anos.

13. Todos os "especialistas" e analistas brasileiros de segurança deveriam se recolher às sua insignificâncias e se calar quando o assunto é aumentar o controle das armas. No país com uma das legislações mais restritivas às armas no mundo, acontecem 70 mil homicídios por ano - ou, um massacre de Las Vegas a cada 8 horas.

14. A retórica também tira a atenção de assuntos que realmente precisam ser discutidos, como a desestruturação das famílias (o pai de Paddock também era um doido), a política manicomial ou o problema do Islã que, embora possa não estar por trás DESTE massacre (o ISIS diz que sim), esteve por trás de praticamente todos os outros."

Você pode conferir a publicação original aqui

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/