Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

[Economia] Foi com liberdade econômica, iniciada com Pinochet, que Chile se tornou desenvolvido


Por Pedro Winnycius Caran 

O dia 11 de Setembro é uma data histórica para o povo chileno devido à ruptura institucional e econômica feita por Augusto Pinochet, o grande e destemido ditador daquele país.

Em 1973, Pinochet liderou o golpe militar que depôs o governo democrático de Salvador Allende dando, além de outras mudanças, uma nova perspectiva econômica mantida durante o processo de redemocratização do país: a liberdade econômica. 

Além de prever uma menor intervenção estatal na economia, o Chile atingiu conquistas de superávits na balança comercial para se prevenir de possíveis crises. A exportação do cobre é o item principal, já que a produção de cobre chileno, que há anos tem uma renda per capita considerada de país desenvolvido, é a maior do mundo.

Entretanto, uma liberdade não vive sem a outra. Por esse motivo que o grande desenvolvimento, em geral, se deu após a redemocratização do Chile quando houve a combinação da liberdade política-civil e econômica. Combinando todos esses fatores, vemos que o sucesso da economia chilena se dá pela desburocratização e pela privatização de vários setores públicos, como, por exemplo, o setor de telefonia que gerou uma série de benefícios para os chilenos: emprego, redução de preços nos serviços prestados e liberdade de escolha.

No Brasil, o setor de telefonia também foi privatizado, entretanto a burocracia é tão alta (regulamentada pela ANATEL) que há oligopólios ao invés de uma concorrência mais justa e satisfatória para os brasileiros.

Além disso, o Chile abriu o mercado para receber investimentos estrangeiros dando uma taxa de juros relativamente baixa, comparada ao Brasil, trazendo altos investimentos externos que elevaram a poupança externa. Ao todo, foram 22 acordos com 60 países, incluindo China e EUA.

Com altos investimentos estrangeiros, balança comercial superavitária, taxa de juros baixa, altos investimentos no turismo e com o maior IDH da América do Sul, o Chile recebeu o título de país desenvolvido pelo Conselho de Ministros da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) em 2010.

A liberdade está diretamente ligada ao desenvolvimento, e o Chile é a maior prova disso na América Latina.  

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.