Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

[OPINIÃO] Caso Santander é exemplo da degeneração moral e cultural que a esquerda almeja


Por Henrique S. R. Silva

O Santander Cultural promoveu a exposição ''Queermuseu'', uma lamentável apresentação que promoveu quadros bizarros, com imagens de pedolifia, zoofilia, desrespeito à religião cristã e todo tipo de comportamento imoral. Como a sociedade brasileira em sua maioria é conservadora em temas sociais, o banco sofreu imensas críticas e admitiu que irá retirar a exposição.

A gaúcha Luciana Genro, do partido de extrema-esquerda PSOL, como não era de se surpreender, lamentou a atitude do banco de retirar a exposição, que aconteceu em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, alegando que ''a sociedade é retrógrada'' etc. A política apagou a postagem que constava na sua página no Facebook, mas ao fazer uma pesquisa no Google, foi possível encontrar o cache da postagem (imagem abaixo).


Não é de se surpreender que a pesolista tenha esse posicionamento, pois faz parte do programa do partido promover essas agendas de ''desconstrução". A arte, como diriam Roger Scruton e Edmund Burke, conservadores da velha guarda, possui objetivo estético de exaltar a beleza da vida humana. E a exaltação da beleza é uma forma de aliviar as nossas dores, nos aproximar da perfeição divina.

Para a esquerda, a arte clássica é ''retrógrada e opressora'', por isso um de seus principais objetivos é a ''desconstrução'', pois ao relativizar a estética, a esquerda impõe a sua agenda revolucionária no campo cultural. Antes mesmo de aparelhar o Estado, os socialistas buscam aparelhar a mídia, a educação e a arte, e ao invés do movimento artístico promover o belo, promove valores contrários aos que a sociedade almeja.

Por isso os movimentos revolucionários estão mais preocupados com a destruição da cultura do que com a estatização da economia. É importante ressaltar que, inclusive, o capitalismo pode ser usado para promover o socialismo, financiando exposições ridículas como essas do banco Santander - é por isso que o capitalismo deve ter base moral forte.

Quanto mais degenerada uma sociedade é, mas ela perde seus valores. Uma sociedade sem a capacidade de exaltar a verdadeira arte é uma sociedade alienada, sem vínculos afetivos e comunitários com seus semelhantes - e uma sociedade instrumentalizada e uma sociedade de fácil dominação.

Os movimentos coletivistas como o feminismo e o movimento LGBT não almejam nada menos do que a pedofilia e a destruição da religião cristã. Uma exposição com quadros escritos ''criança viada'' é uma exposição criminosa. A sexualização precoce de crianças e a ideologia de gênero são ferramentas de destruição da família para expansão do controle estatal.

Da mesma forma que a liberdade de expressão permite peças bizarras como essa, devemos usar a nossa liberdade para boicotar esse tipo de coisa, e lutar por uma restauração da arte como valorização do belo e da estética.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/