Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

[OPINIÃO] Progressistas pregam amor, mas destilam ódio a Trump nos EUA e a Olavo no Brasil


Por Davi Alves

Nós latinos, conhecemos muito bem o autoritarismo. Nossa liberdade sofre com ameaças constantemente.  Se fizermos um livro e alguém não gosta, somos processados e censurados. Se fizermos um filme e alguém não gosta, somos processados e censurados. Se fizermos até mesmo uma piada e alguém não gosta, somos processados e censurados. Exemplos disso é o filme “O Jardim das Aflições”, sobre Olavo de Carvalho, que só por ser sobre um filósofo considerado de direita foi censurado em festivais. Tem também o Danilo Gentilli que vive recebendo moção de censura do Senado e da Câmara dos Deputados, só porque políticos petistas não gostam das piadas dele.

Coisas como essas infelizmente também estão acontecendo nos Estados Unidos. Vocês devem saber que a CNN tenta revelar tudo sobre um usuário do Reddit, há alguns dias, por ter feito aquele gif engraçado do Trump dando um soco no logo da emissora, certo? Sim, não existe senso de humor ou amor no círculo esquerdista nem em um conglomerado de milhões e milhões de dólares, que agora tenta intimidar um cidadão privado por fazer humor e utilizar a liberdade de expressão.

Ao mesmo tempo em que a progressista CNN ameaça o criador deste gif, na China é determinado à proibição de qualquer imagem com o Ursinho Pooh, igualmente por causa da internet. O presidente Xi Jinping é comparado ao ursinho desde 2013 em redes sociais do país, e não gosta muito disso. Parece que todos os globalistas são iguais, eles não conseguem entender que memes e gifs engraçados fazem parte da internet e são criados para fazer as pessoas rirem. Mas como disse o escritor português Eça de Queiroz “O riso é a mais útil forma da crítica, porque é a mais acessível à multidão. O riso dirige-se não ao letrado e ao filósofo, mas à massa, ao imenso público anônimo”. A massa, o imenso público anônimo, agora está presente na internet.

É bastante perguntando qual é o limite do humor. A única resposta para isso é um grande “nenhum”. O humor e a liberdade não têm limites. Humoristas podem fazer piadas com todos e sobre tudo. Alguns historiadores dizem que a critica ao político e a alta sociedade por via do humor vem desde o Império Romano. Ou seja, não será a CNN ou o presidente da China comunista que acabarão com o humor, agora na internet. A cada meme que for proibido ou a cada criador de gif que for perseguido, surgirão milhares e milhares de outros. A liberdade que a internet concede ao individuo é a maior arma contra pessoas totalitárias e tiranias.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.