Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

[CRÔNICA] Sou liberal clássica e contrária a liberações estapafúrdias e danosas


Por Vannessa Al
Moderadora do grupo Direita Liberal

Me considero uma liberal clássica, pois há um tempo, quando me decidi me posicionar politicamente, resolvi entender os fundamentos e motivações dos posicionamentos políticos vigentes no país.

Mas hoje me deparo com uma moda (que por um lado é benéfica) onde a palavra liberal é usada para todo aquele que brada dormentemente os jargões "imposto é roubo" e "privatiza tudo".

Muitos questionam meu posicionamento quando me coloco contrária a liberações estapafúrdias e danosas, dizendo "é porque diz que é liberal" sem nunca ter lido um "Teoria dos Sentimentos Morais" ou "Riquezas das Nações" de Adam Smith, ou ter observado os fundamentos históricos do liberalismo clássico de Jeremy Bentham em "Uma introdução aos princípios da moral e da legislação" nem muito menos ouviu falar de John Locke e seu legado sobre a estruturação do estado.

Mas eu não largo o osso, eu não vou aderir ao costumeiro ato de deturpar o sentido real de um posicionamento e migrar para o próximo que ainda está intacto e com isso perdermos a identidade real das coisas frente à ignorância valorizada.

Liberalismo não é estar embasado naquela musiquinha da Xuxa "libera geral, libera geral, libera geral, então libera" onde eu devo (por obrigação ideológica) achar que alguém tem direito de dirigir embriagado ou alguém se acabar de usar drogas em via pública pois intervir fere sua liberdade individual.

O conceito de liberdade anda bem deturpado ultimamente. Liberdade sem responsabilidade é ignorância. Socialmente falando, nenhum povo ou nação se mantém frente à isso.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.