Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

[CRÔNICA] Portugal facilita entrada de estrangeiros de língua portuguesa no país


Por Nivia Junqueira

Quinta-feira. Nove horas da noite. São Paulo. Neste ano de 2017 o governo de Portugal resolveu incentivar a entrada de cidadãos de outros países que falam a língua portuguesa. Com a notícia, muitos brasileiros que querem se mudar ficaram empolgados.

O acordo feito entre integrantes da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) deve entrar em vigor em 2018 e levanta a discussão acerca de leis trabalhistas como previdência e os direitos sociais.

Esse acordo tem justificativas econômicas. Portugal ainda tenta se reerguer da última crise e os portugueses estão migrando para outros países da U. E. Somado a isso tem se o envelhecimento da população. O que tem deixado Portugal carente de mão de obra jovem, capacitada e produtiva.

Dessa forma, estudantes e trabalhadores são o foco de Portugal.

Leia Mais: Como mudar para Portugal

A nova lei possibilitará aos estrangeiros disputarem vagas de emprego com os moradores locais. Isso também é facilitado pela equivalência entre títulos profissionais e acadêmicos entre as nações de língua portuguesa. Apesar disso, a língua inglesa é indispensável por lá.

O salário mínimo também é outro fator que tem feito os portugueses abandonarem o país e tentarem a vida nos países vizinhos. Em torno de 530 Euros, Portugal ainda paga um dos menores salários da União Europeia.

Ainda assim, esse valor é mais vantajoso comparado ao salário mínimo brasileiro ou de outras nações da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, como Moçambique e Angola. O poder de compra em Portugal é maior que no Brasil. Por exemplo, carros são muito mais baratos, bem como roupas e eletrônicos.

Além de um salário maior, o que chama atenção de jovens e trabalhadores do Brasil é a possibilidade de Previdência Social. O acordo prevê que os anos de trabalho possam ser somados como anos de contribuição. Mas lembre-se de preparar seu futuro de outras maneiras e não depender apenas de dinheiro de previdência social.

Relacionado: Tudo sobre Como Morar em Portugal?

Outro chamativo de Portugal é seu baixo índice de violência. É quinto país mais seguro para se morar. Enquanto o Brasil ocupa a 105ª posição. Sem contar os lindos pontos turísticos, belos litorais, a boa qualidade de ensino básico e universitário e a oportunidade de viajar para outros países da Europa.

A moradia, assim como no Brasil, ainda consome a maior parcela do salário, ficando em torno de 19% do total recebido, no caso de imóveis alugados para morar toda família. Já para pessoas que vão estudar ou trabalhar sem família, os custos caem bastante.

A saúde e a educação são diferentes daqui. Não são gratuitos. Dessa forma, você deve pagar pela consulta, por procedimentos realizados, bem como mensalidades no caso de universidades. Mas como mencionado, o poder de compra dos portugueses é muito superior ao dos brasileiros, e os valores cobrados não são abusivos, o que torna a saúde e a educação mais acessíveis por lá. Justamente por essa cobrança, a qualidade de infraestrutura e atendimento são largamente superiores ao do Brasil.

O pequeno território, a pequena população e o baixíssimo índice de violência já indicam que é possível ter uma boa qualidade de vida por lá. Por isso, outro atrativo é justamente a tranquilidade para quem já está cansado, por exemplo, de uma cidade como São Paulo.

Portugal é o melhor país para criar crianças

Se você pensa em se mudar e quer aproveitar essa oportunidade, a primeira coisa que deve fazer é procurar Consulados ou Embaixadas de Portugal no Brasil e requerer o visto. Planeje tudo direitinho, busque informações, analise a situação de emprego para sua área e vá em frente!

Conheço vários amigos que devido às desilusões com o atual panorama político do nosso país pensam seriamente em tomar a decisão de ir morar em Portugal.

Se for o seu caso, boa sorte!

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.