Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

E se Estados Unidos, Rússia e Coreia de Norte fossem alunos de uma escola? Confira!


Por Léo Fernandes

Nos últimos dias, o mundo vem acompanhando de maneira tensa o desdobrar das provocações envolvendo Estados Unidos e Rússia, com Síria e Coreia do Norte como marionetes. Foram feitos alguns ataques por parte dos americanos, enquanto Rússia e Coreia do Norte por enquanto ficam apenas nas ameaças. Algumas pessoas especulam que pode estourar uma Terceira Guerra Mundial em breve. Outros imaginam uma Segunda Guerra Fria.

Como explicar o que vem acontecendo no mundo ultimamente? Pensei em um exemplo que talvez todos consigam entender de uma forma bem leve, pois todos nós já passamos por isso uma vez na vida.

Imagine uma turma de escola formada por adolescentes. Imaginou? Pois bem, em uma turma de colégio existem alunos de vários tipos e normalmente é considerado um grupo bastante indisciplinado, levando os professores à loucura. Vamos aos perfis mais comuns onde poderemos retratar os nossos personagens:

Os Estados Unidos, do presidente Donald Trump, seria o aluno que veio transferido de outra escola, com um histórico de indisciplina que acaba gerando a antipatia da nova turma quase que automaticamente. Os Estados Unidos de Obama seria o aluno “cool”, que todo mundo gosta, que é popular, que resolve quase sempre as coisas na base do “paz e amor”, mas que não adianta muita coisa.

A Rússia seria o aluno grandão, metido a valentão, que faz “bullying” com os alunos mais fracos. Só que muitas vezes ele não faz isso sozinho - na verdade manda seus “capangas” para realizarem tais ações. A Coreia do Norte seria o gordinho “nerd-fake”, mimado. Como todo “nerd-fake”, ele só tem cara de nerd, porém é muito burro, fica intimidando os melhores alunos da classe, sempre os chamando para briga. A Síria é apenas um aluno idiota, puxa-saco do grandão russo, pois sem ele seria apenas um nada na turma.

Então, sai o aluno “cool” e entra o novato, transferido de outra escola. Como em toda classe escolar, o aluno novo é sempre posto a uma série de "testes" por seus colegas. Um desses trotes é sofrer intimidação do grupo dos valentões. O aluno novo já deu uma lição no sírio puxa-saco. O grandão russo não gostou e, se passando por bom aluno, foi reclamar com a diretora (ONU) da atitude do novato. O gordinho “nerd-fake” resolveu testar o novato lhe fazendo ameaças. Em resposta, o americano disse que estava pronto para pegar o gordinho coreano depois da aula. Agora, o nerd ficou mandando recadinhos pra escola toda de que haverá uma briga com o aluno novo na saída.

O resto da escola somos nós, que estamos prestes a fazer uma grande roda em volta dos brigões para ver o que vai acontecer. Pois é exatamente isso. Nós, apesar de estarmos preocupados com a situação, também acreditamos que o circo pegará fogo e queremos ver o que vai se passar depois. Espero que essa briga entre os alunos briguentos não cause graves problemas à escola inteira.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.