Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

No dia 29 de abril será lançada em Brasília a Associação dos Conservadores Brasileiros


Por Wilson Oliveira

"Para o triunfo do mal só é preciso que os bons homens não façam nada". É com essa frase, de autoria de Edmund Burke, considerado o pai do conservadorismo, que a Associação dos Conservadores Brasileiros (ACONS) se apresenta por meio do seu site oficial. Com sede em Brasília, a entidade se lançará oficialmente para o público no dia 29 de abril, às 16h, na Capital da República. Os interessados em acompanhar a festa de lançamento podem se inscrever para comparecer tanto presencialmente como por meio de uma videoconferência.

A ACONS se define como uma entidade da sociedade civil organizada, sem fins econômicos, de caráter políticos e cultural, que pretende representar e defender, diante dos poderes constituídos ou não, os anseios e modo de vida dos conservadores do Brasil, bem como difundir no país o pensamento, a doutrina e a cultura conservadora. A associação lista 12 pontos cujos quais são apontados como centro de sua atuação:

(1) o direito à vida desde sua concepção até a morte natural; (2) o direito à legítima defesa; (3) a preservação da família natural; (4) a liberdade de mercado e de iniciativa; (5) o direito à propriedade privada; (6) a moral cristã como base ética da sociedade brasileira; (7) o modo de vida ocidental; (8) a conservação e difusão da Cultura Nacional; (9) o incentivo ao ensino e ao desenvolvimento; (10) a manutenção da ética pública; (11) a formação de um conservadorismo genuinamente brasileiro, que esteja firmado sobre as tradições do nosso povo; (12) os interesses e a soberania da nação brasileira.

O surgimento da associação teve o seu embrião ainda em 2014, através das redes sociais. A ideia inicial era a formação de um partido, que seria conhecido pelo sigla CONS. Um estatuto chegou a ser elaborado, com a eleição de André Menegasso para presidir a legenda. No entanto, por problemas de ordem administrativa e financeira, o partido não conseguiu cumprir todas as obrigações estipuladas pelo Tribunal Superior Eleitoral para conseguir o seu registro.

Atualmente, a Associação dos Conservadores Brasileiros é presidida por Wallison Moura, que assumiu após a renúncia por problemas pessoais de João Paulo Louzada, que havia assumido após a saída de Menegasso, que também renunciou. Moura está conduzindo a criação da assembleia que, além de marcar o lançamento oficial da ACONS em Brasília, também contará com a realização de uma eleição para a nova Executiva Nacional.

Entre os compromissos que serão assumidos por essa nova executiva está a organização de núcleos em todos os estados brasileiros - atualmente apenas Roraima e Sergipe ainda não possuem filial da entidade. Os trabalhos mais avançados encontram-se no Rio de Janeiro, com Renan Morais, em São Paulo, com Rodrigo Morais, no Ceará, com Aluísio Gurgel, e na Bahia, com Frederico Pontes.

Outro objetivo da associação é expandir o número de associados, buscando formar pessoas capacitadas a difundir o conceito conservador na sua região além, é claro, de capitalizar financiadores do projeto. A ideia de se criar um partido não foi abandonada. A ACONS, inclusive, busca verba para reeditar o processo de registro justo ao TSE.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.