Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Jardim das Aflições: Olavo de Carvalho dando exemplo a indústria cultural


Por Matheus Espezoto

Em maio de 2017, estreará nas indústrias cinematográficas nacionais o documentário "Jardim das Aflições". Nele, estará retratado o pensamento e o cotidiano do filósofo Olavo de Carvalho, bem como a sua vivência familiar e sua atmosfera de trabalho intelectual. O conteúdo em vídeo foi gravado na cidade de Richmmond, na Vírgínia, Estados Unidos.
 
A produção, que é dirigida por Josias Teófilo, vêm para deixar clara a possibilidade de fazer conteúdos cinematográficos de primeira qualidade, sem se abusar das verbas públicas bem como a Lei Rouanet.

Confira aqui o que incentivou Josias a dirigir a produção, em uma entrevista concedida ao site CADAMINUTO:

“Surgiu de uma necessidade que eu sentia de ver documentários voltados para questões internas ou até mesmo espirituais, e não só para questões sociais ou de identidade cultural ou sexual, que são os temas predominantes do cinema documentário brasileiro. Nesse sentido, vi o pensamento de Olavo de Carvalho como um ótimo tema para um filme, que mostrasse ao mesmo tempo o cotidiano e o seu trabalho filosófico.”




Olavo de Carvalho, conhecido por ter desenvolvido seus livros de forma independente, como o bestseller "O Mínimo Que Você Precisa Saber Para Não Ser Um Idiota", que vendeu mais de 320 mil cópias, não iria nos decepcionar se rendendo aos tentáculos estatais agora. Em meio aos excessivos financiamentos retirados da verba pública para a produção artística, o documentário representa uma contra-cultura nacional. Jardim das Aflições se destaca por ser o maior financiamento coletivo para um filme na história do Brasil, com 2.800 investidores individuais.


Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/