Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Governo paga canal do YouTube pra falar da reforma do ensino médio



O governo Temer deveria sentir vergonha na cara, entre tantos outros motivos, por precisar apelar ao pagamento de jovens que possuem canal no YouTube para falarem bem da reforma do ensino médio. Ainda que lhes tenha sido apresentado o projeto e que a parceria tenha sido fechada apenas com aqueles youtubers que concordaram com o projeto político do governo federal, o fato de haver um pagamento para se veicular uma "opinião" já descredencia tudo o que é dito na ação extremamente marketeira e vazia de conteúdo, bastante similar à campanha presidencial de 2014 que tinha Temer e Dilma no encabeçamento da chapa.

O mais entristecedor nesse episódio é que a proposta de reforma do ensino médio não é ruim, tem vários pontos positivos e preenche uma lacuna que há muito tempo deixa o ensino brasileiro arcaico, com obrigações aos alunos que estão completamente obsoletas e que têm se mostrado inúteis com o passar do tempo.

Portanto, encontrar pessoas dispostas a debater e até mesmo a defender tal projeto sem que para isso fosse necessário gastar o dinheiro do pagador imposto não seria uma tarefa nada complicada. Mas a completa inaptidão do governo Temer com a comunicação social mostra que há um perigoso despreparo por parte daqueles que foram incumbidos de administrarem o Brasil durante a sua mais séria crise econômica, política e moral.

A gestão Michel Temer é apenas a solução que sobrou após o atoleiro que Dilma Rousseff enfiou o país. Mas isso não significa que depositemos toda confiança. Pelo contrário. A mesma desconfiança que temos do PT, também temos do PMDB.

Esta é a opinião editorial de O Congressista. No vídeo do programa "3 em 1", da Joven Pan, você confere mais informações sobre essa ação.


Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.