Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Dívidas, impostos, regulações, economia fraca e escândalos: o legado da era Obama


Por Pedro Augusto

A presidência de Barack Obama chegou ao seu fim. E ao contrário do que muitos brasileiros pensam, foi um governo recheado de escândalos e ações que dificultaram a vida de muitos norte-americanos que se viram esquecidos. Para esses americanos, Donald Trump era o único que estava falando de seus problemas, afinal, a grande maioria dessas pessoas comuns tiveram sua renda retrocedendo em mais de 20 anos. 

Economia 

Ao contrário do que muitos pensam, a economia não está recuperada. E se comparados a seus antecessores, Obama teve um desempenho fraco, com o PIB de seu país crescendo apenas a 1,7 ponto percentual, diferente dos outros governantes que chegaram a pelo menos 3 pontos percentuais de aumento. 

Talvez o maior desafio de Trump seja a atual dívida do país, que hoje está em 19,9 trilhões de dólares. Neste período de oito anos, ela dobrou de tamanho e chegou a patamares jamais vistos na historia. Obama acumulou uma dívida maior que todos seus antecessores juntos.

Pode ser difícil acreditar, mas em 8 anos ele gastou mais que George Washinton (1789-1979) e até George W. Bush (2001-2008). Parte disso por causa do Obamacare e também pelos pacotes de estímulo a economia que até 2014 chegou ao valor de US$ 10.000 bilhões. Como o documentário Overdose- A próxima crise financeira mostrou, este valor é o custo somado da Primeira e Segunda Guerras Mundiais; Guerras do Vietnã, Coreia e Iraque; New Deal; viagem à lua e Plano Marshal. 

O gráfico a seguir ilustra o assustador crescimento da dívida nos últimos quase 30 anos. Veja o quanto subiu após 2009.

Quanto aos impostos, o país possui a maior taxa nos países ditos de primeiro mundo. Para Anthony B. Kim, do Heritage Foundation, isto foi um fator primordial para a saída de empresas da América, e diminuiu o número de ofertas de trabalho, salários e o desempenho da economia do país. Neste momento, o leitor mais atento consegue entender por que muitos americanos elegeram Trump, que promete trazer os empregos de volta, através da diminuição dos impostos para as empresas, como ele já relevou em seu programa de governo. Além disso, por causa do Obamacare, foi promovido um aumento de impostos em US$ 1 trilhão em 10 anos e mais US$ 377 bilhões, que sobrecarregará, e muito, a classe média. 

Durante estes últimos anos, os EUA caíram da 6° economia mais livre do mundo para a 11° no ranking do Heritage Foundation. Tudo isso causado pelo grande número de regulações nesses últimos anos. Só para operações comerciais foram 180 novas regulações com um custo aproximado de US$ 80 bilhões. No total, com Obama foram criadas 3.069 novas regulações, que custaram US$898,4 bilhões.

Algumas dessas regulações são tão prejudiciais ao país que levará ao aumento em dois dígitos nas contas de energia dos americanos, além de fechar cerca de 280 mil postos de trabalhos por causa das medidas de "energia limpa". 

Obamacare

Como já foi dito, por causa do Obamacare, em dez anos espera-se que seja tirado dos americanos cerca de US$ 1 trilhão, além de 377 bilhões que sobrecarregarão a classe média. Os custos dos prêmios aumentaram em 41 estados, chegando a ter um aumento médio de 41% em Ohio.  



Por causa de problemas econômicos, algumas seguradoras terão de fechar. Mais de dois milhões de pessoas terão apenas uma opção de escolha. A expectativa é que neste ano aumente de 225 para 974 o número de municípios com apenas uma opção. 

E como se já não bastasse, por causa da obrigatoriedade de empresas com mais de 50 funcionários com carga horária superior a 30 horas semanais ter de subsidiar os seguros de funcionários, muitas delas diminuíram a carga horária de seus funcionários, que os levaram a ter menores salários e a encararem a realidade de dois empregos para não perder qualidade de vida. 

Escândalos 

Embora muitos ainda acreditem que no governo de Obama não houve escândalo algum, a verdade é justamente o oposto. Mas, infelizmente, pouco ou nada foi falado a respeito aqui no Brasil.


Durante as eleições, muito foi falado que a antiga secretaria de Estado Hilllary Clinton teria usado seu posto para favorecer empresas que patrocinavam palestras dadas por seu marido Bill Clinton. Tudo isso ocorreu no primeiro mandato do democrata. E essas ações facilitaram a vida de algumas empresas na Nigéria, no Irã, Rússia, Haiti e Canadá. 

Outro escândalo, que até inspirou o filme "13 horas: os soldados secretos de Bengazhi" e a quarta temporada da série Homeland, foi o caso de Bengazhi, ocorrido em 2012, quando a embaixada norte-americana na Líbia foi atacada por terroristas. Diplomatas pediram ajuda ao governo, mas essa ajuda nunca chegou, levando a morte de diplomatas norte-americanos.

As férias de Obama ao longo dos últimos oito anos de mandato custaram aos cofres públicos pouco mais de US$ 96 milhões. Para alguns especialistas o valor é desnecessário e representou um desperdício de recursos militares.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/