Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Tema em Debate: 93% afirmam não confiar no STF, em pesquisa no DL


O Tema em Debate desta edição procurou medir o nível de confiança dos participantes do grupo Direita Liberal no Supremo Tribunal Federal (STF). Ao perguntar se havia confiança no trabalho do STF, 93% responderam que não. Apenas 7% afirmaram possuir uma confiança média e nenhum voto foi computado para a opção "sim, confio". Nos comentários, além de muita reclamação sobre os atuais ministros, também foi possível observar uma enorme insatisfação com o fato dos integrantes do referido Tribunal serem indicados pelos políticos, àqueles cuja principal função da Corte é justamente o de julgar em casos de investigações sobre malfeitos no momento do exercício de um mandato público. Confira os principais comentários abaixo:

"Difícil confiar em uma corte onde seus pares são indicados por políticos. Não sei como funciona em outros países, mas se fosse por concurso público seria melhor ao meu ver. Os efeitos das indicações de juízes por políticos podem tardar, mas eles sempre aparecerem, exatamente como no caso Calheiros."
André Arioli

"Difícil confiar em um STF que legisla pautas que deveriam ser da competência do congresso, ou que tenha deixado o país ter chegado esse ponto de corrupção e impunidade."
Fernando Henrique

"Única instituição que ainda confio é o MPF (Ministério Público Federal)"
Alexandre Cassis

"Difícil confiar em uma corte bolivariana, que toma decisões influenciadas ideologicamente."
Matheus P. Espezoto

"Todos os juízes foram indicados por governos de esquerda. Por ideologia, a esquerda defende que o respeito às leis é relativo, que a própria moral é relativa. Os juízes nomeados por governos esquerdistas geralmente são ativistas jurídicos que atuam de acordo com os seus próprios conceitos de valores e de acordo com o que consideram "Justiça Social". Ou seja, seguir a constituição não é a regra. Fora isso, todos os governos que indicaram juízes do nosso STF estiveram envolvidos em graves casos de corrupção, o que pode pôr em dúvida todas as suas ações."
Filipe de Andrade Morais



"Confiança Média num STF que anula delação por que um dos juizes foi delatados? Cara, as vezes eu fico de cara com a aceitação dos brasileiros."
Jose Queiroz

"Nem um pouco. Gostava do Gilmar Mendes, mas vi q ele é protetor dos tucanos."
Diego Leandro Porto Salim

"Hoje em dia nós temos a dependência do STF. É impossível negar essa dependência. Esse órgão é importante e toma decisões importantes. Então, quando ele fará certas decisões, ficamos com a esperança de ele tomar a decisão certa, e às vezes ele toma decisões certas também, apesar de tudo. Porém, não da pra negar a tendência ideológica do STF - ela é grande. O pior de tudo é que essa influência não podemos controlar. Por mais que o STF inteiro não seja por nomeações governamentais, ainda pode haver influências. Nossa cultura é arraigada no Marxismo. Nossas universidades são totalmente enviesadas. Nossos livros em escolas públicas nos ensinam o errado. Então, o que devemos realmente fazer é realmente acabar com as nomeações, mas precisamos colocar pessoas que realmente vão seguir a constituição independente de ideologia, que vão fazer seu trabalho profissionalmente. É isso que precisamos no STF. Tudo isso é culpa dos 13 anos do PT e do seu projeto de poder. Nesses 13 anos tentaram de todas as formas apodrecer todo o sistema por dentro, de pouco a pouco, e hoje apenas vemos os resultados disso."
Bruno Lopes

"Como confiar num Supremo que tem um de seus membros que nem jurar a Constituição jurou? Ainda mais sendo todos indicados por partidos bolivarianos!"
João Wildson Germano de Queiroz

"Como confiar em um grupo, onde estão presentes pessoas como Marco Aurélio Mello, nomeado por seu primo Fernando Collor; Dias Toffoli, o eterno advogado do PT? E nem preciso comentar sobre Lewandowski e Luís Roberto Barroso, né?"
Davi Alves

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.