Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Quem defende a extrema-esquerda é conveniente com o crime



Por Henrique S. R. Silva

Na terça-feira, dia 13 de dezembro, após o Senado aprovar a PEC 55, que limita os gastos públicos, grupos de extrema-esquerda ligados ao MTST, CUT, PT, PSOL e PCdoB promoveram atos de vandalismo em vários estados brasileiros. Destaque para a Avenida Paulista, onde houve depredações, principalmente no prédio da FIESP. Os criminosos fecharam a avenida e a PM teve que utilizar bombas de gás para dispersar os terroristas.

Até aí nenhuma novidade, pois sabemos que a extrema-esquerda é intolerante e violenta em sua essência. Mas o que deixa o autor deste artigo, e a todas as pessoas que tenham um mínimo de vergonha na cara, extremamente indignado é a cobertura da mídia à respeito disso. A mesma mídia que eles chamam de “golpista”.

De fato é uma mídia golpista, aparelhada pela extrema-esquerda há muito tempo, que acoberta todos os seus crimes. Basta ver, por exemplo, a exaltação do ditador assassino e psicopata Fidel Castro. E agora, chamando os vândalos de “manifestantes".

Mas não se trata de uma simples manifestação - manifestação, por exemplo, foi a do dia 4 de dezembro, a favor do Lava Jato, pedindo a saída de Rodrigo Maia e Renan Calheiros de seus respectivos cargos. E as manifestações foram pacíficas, não houve depredações, assim como nas manifestações pró-impeachment.

Mas para os esquerdistas, a manifestação dos “coxinhas” é fascista, já os atos de vandalismo é “democracia”. Nem vem ao caso discutir a importância da PEC para equilibrar as contas públicas e colocar um certo limite, embora tímido, no Leviatã estatal brasileiro.

Toda pessoa tem pleno direito de concordar ou não com a PEC, afinal vivemos em uma democracia. Porém, todos sabem que a extrema-esquerda nunca lutou por democracia, pois suas principais pautas são o controle da mídia contra a liberdade de expressão e a estatização da economia.

E os atos de vandalismo não são apenas por causa da PEC, afinal, ela serve apenas de bode expiatório. O objetivo dos atos de vandalismo é apenas de causar o caos e a desordem, para forçar a PM a agir e depois reclamarem que foram “reprimidos". Então, a mídia passa a semana toda demonizando a PM (como no caso da militante que teve o olho esquerdo atingido). E dessa forma, a extrema-esquerda ganha força para dizer que “o impeachment foi golpe e que os movimentos sociais são reprimidos”.

Exatamente por isso é importante a direita combater a extrema-esquerda no campo cultural e sempre expor a hipocrisia dessa gente, que justifica que quebrar brancos e depredar propriedade é “lutar por causa justa”. A exaltação da violência não é algo incomum aos revolucionários, pelo contrário, por isso o Comunismo assassinou 100 milhões de pessoas, o Fascismo matou 20 milhões e a Revolução Francesa ceifou várias vidas na guilhotina.

Devemos ter em mente que defender a extrema-esquerda é a mesma coisa que defender o crime organizado, assim como defender o nazi-fascismo.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/