Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Expresso News: dúvida entre Lula e Ciro Gomes pra 2018 dificulta "Frente de Esquerda"


A Frente Brasil Popular ainda não sabe qual nome irá lançar para a disputa da presidência em 2018. Os dois principais partidos desse bloco, PT e PDT, não abrem mão de lançar o cabeça da chapa. Os pedetistas defendem que Ciro Gomes deve ser esse nome, com apoio dos petistas, que por sua vez insistem em lançar Lula, mesmo ele sendo réu na Operação Lava Jato. Outros partidos que podem integrar essa frente são PCdoB e PSOL, sendo que este último apresenta alguma resistência, alegando que seu ingresso está condicionado a elaboração de uma agenda em comum que conte com aumento de impostos para mais ricos, controle da mídia e reforma política com DNA esquerdista. Os psolistas ainda não abriram mão de lançar um nome para 2018 numa chapa puro-sangue ou em parceria com outro partido de extrema-esquerda, como fez no Rio de Janeiro ao lançar Marcelo Freixo para a prefeitura tendo uma integrante do PCB como vice.


O socialismo e o assalto

"Dizer que o socialismo “fracassou” é o mesmo que dizer que todos os assaltos fracassaram. Nada disso. Cada assalto em que o assaltante não foi capturado e a vítima foi assaltada é um sucesso na visão do assaltante".


Que mancada 1

A candidata do partido Novo à prefeitura do Rio de Janeiro Carmen Migueles deu uma derrapada preocupante em sua página no Facebook. Ela divulgou um texto longo para falar sobre as eleições de Donald Trump, nos Estados Unidos, e de Marcelo Crivella, no Rio. Eis que no meio de tantas palavras e de tantas linhas, sempre com a boa dose de isentismo tão comum a ex-candidata, Carmen cometeu o inaceitável erro de dizer que o Partido Democrata dos EUA é mais liberal na economia. Ela deve ter se esquecido do socialista confesso Bernie Sanders, que foi um dos pré-candidatos à presidência americana pelas prévias democratas defendendo abertamente a estatização da economia americana. Será que Carmen Migueles vai divulgar outro textão pra explicar que não foi isso que ela quis dizer?


Que mancada 2

A página nacional do PSC também deu uma tremenda bola fora no Facebook. Neste 15 de novembro, o partido divulgou uma nota comemorando o golpe dado contra a monarquia que deu início a República. Erroneamente, o pequeno texto dizia que "o povo brasileiro estava insatisfeito com Dom Pedro II, pois ansiavam um sistema democrático, com mais liberdade econômica e menos autoritarismo". Na verdade, a insatisfação do povo brasileiro, a falta de liberdade econômica e o autoritarismo vieram justamente com a República, instituída através de um golpe militar.

Fonte: a publicação do PSC foi apagada, mas nós conseguimos um print:


Guinada à direita?

Matéria da Época afirma que as eleições dos futuros prefeitos Nelson Marchezan, em Porto Alegre, João Doria, em São Paulo, e Marcelo Crivella, no Rio de Janeiro, representam uma guinada à direita da sociedade brasileira. A matéria destaca que a eleição de Dória foi uma valorização da redução do papel do governo na economia, a vitória de Marchezan na capital gaúcha significou mais atenção ao tema da segurança, ainda mais em tempos de crise, apesar da Polícia Militar ser um pressuposto do governo estadual, e que o triunfo de Crivella no Rio de Janeiro, sobretudo impondo uma derrota a Marcelo Freixo, do PSOL, foi a preferência do eleitorado pou uma opção mais conservadora nos costumes, em detrimento de uma candidatura que representava a defesa da legalização das drogas, do aborto, do funk vulgarizado e de um discurso contra a violência que curiosamente poupava os traficantes.


Vídeo da semana

Sérgio Cabral, preso esta semana no Rio de Janeiro pela Operação Lava Jato, em um vídeo de alguns anos atrás, em condições um tanto quanto estranhas, se mostrando bastante à vontade ao lado de Dilma Rousseff, pedindo votos para aquela que viria a ser presidente do Brasil. Vale lembrar também que na política um dos parceiros mais fiéis de Cabral era o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.