Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

A vitória de Trump não se deu por aumento do preconceito, mas por causa de Obama


Por Pedro Augusto

Se você depender dos mais diversos analistas da grande mídia e daquela pessoa que gosta muito de falar de política no Facebook, mas que não se aprofunda tanto nas análises, fatos e como andam as coisas pelo mundo, a explicação para vitória de Donald Trump se resumirá a racismo, machismo, xenofobia, homofobia, fascismo e qualquer outro rótulo com sentido negativo.

Estas análises rasas, usos de palavras chaves e discursos prontos só expressam uma coisa: estes analistas não têm a minima ideia do que está acontecendo e, portanto, precisam dar qualquer resposta - e não admitem que não sabem. Isso é tão verdade que todos eles esperavam a vitória de Hillary Clinton. Algo que eu já disse que não aconteceria. E que você pode conferir aqui em O Congressista.

Mas a questão que fica é que muita gente ainda não consegue explicar por que Donald Trump venceu. O radialista que tem o programa de política mais ouvido nos Estados Unidos, Rush Limbaugh, já falou inúmeras vezes em seu site e em seu programa que Trump se explica basicamente pela insatisfação de boa parte dos americanos por política. Eles estão cansados de players tradicionais que mentem para eles sem o menor pudor. Com Trump é o contrário: enxergam sinceridade.

Outro que explicou por que Trump cresceu tanto foi o comentarista da Fox News Bill O'Reilly. Ele disse:
"A razão disso é que muitos americanos estão fartos com o que ocorre na América. Estão cansados dos mesmos políticos mentindo para eles. E acreditam que Trump irá detonar todo o sistema. Mas tem mais. Numa coluna do Wall Street Journal, Daniel Henninger observa que o politicamente correto tem alienado tanto os americanos que o anti-politicamente correto, o Trump, é aceitável independente do que diga. [...] Eu não sei você, mas estou farto dessa baboseira (do politicamente correto), porque isso é usado para lesar as pessoas. A turma do politicamente correto sempre dispara acusações vis contra aqueles que não gostam. [...] Isso é uma coisa malévola. E o americano mais lúcido já o sabe. Por isso que quando um cara como Trump, de fato, ataca a loucura do politicamente correto, ele ganha mais seguidores e votos.
A economia também é um fator. Embora não se fale muito na mídia brasileira, a situação norte-americana não anda muito bem. E no futuro passará por graves problemas. Só nestes quase oito anos do governo Barack Obama a dívida dobrou e já passou dos US$ 19 trilhões. Sozinho, Obama adquiriu mais dívida que todos os outros presidentes juntos.

Neste período, a pobreza também foi outro problema. Ela aumentou. Agora está no mesmo nível de 1993, ou seja, regrediu em mais de 20 anos.

Como ficou bem claro, Trump está prometendo trazer os empregos de volta ao país. Tudo isso porque nestes últimos anos muitas empresas fugiram de lá por causa do aumento de impostos para as companhias, que hoje é a maior entre os países do primeiro mundo.

Tal fenômeno fez com que as empresas migrassem para outros países, diminuindo o número de empregos para os americanos. Trouxe, ainda, queda nos salários dos que continuam empregados e baixa no desempenho econômico do país. Ou seja, os americanos estão perdendo empregos e qualidade de vida, coisa que Trump promete trazer de volta. Por isso que muitos foram votar nele.

O economista Peter Schiff, embora não apoie Donald Trump, é outro que mostra os problemas econômicos do país. Segundo ele, por volta de 60% dos empregos gerados são de meio período, que obviamente pagam salários menores.

E por fim, o seu duro discurso contra a imigração ilegal. Muitos disseram que esse era um discurso polêmico, que ele odiava latinos e por aí vai. No entanto, o que muitos não sabem - porque foram enganados pela grande mídia e por apenas repetirem o que ela diz - é que Trump está falando dos imigrantes ilegais. E Hoje, sete de cada 10 presos nos EUA são mexicanos. 

Dos 55 mil presos estrangeiros nos EUA (que são 25% da população carceraria), 68% são mexicanos. Eles custam aos cofres públicos cerca de US$ 1,6 bilhão anualmente. É um grande peso no bolso de todos. A maioria dos presos está lá primeiramente por imigração ilegal, e em seguida por algo relacionado ao tráfico de drogas.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/