Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Valores, Honra e Política



Por Viníccius Felipe Rubetti

"O mal da desagregação normativa corrói a ordem no interior da pessoa e da república. Até reconhecermos a natureza dessa enfermidade, seremos forçados a afundar, cada vez mais, na desordem da alma e do estado. O restabelecimento das normas só pode começar quando nós, modernos, viermos a compreender a maneira pela qual nos afastamos das antigas verdades." (Russel Kirk, 1918-1994)

O que são valores? O que são promessas? O que é respeito? Honra? Destes quatro pontos básicos para a construção de uma sociedade próspera que oferte confiança para empreendedorismo e de um norte digno para uma nação, qual (quais) estão presentes no nosso atual dia-a-dia? No nosso atual método de governança? Assustadoramente, a resposta é: nenhum!

Vemos cada dia mais, cidadãos esquecendo-se de devolver ao caixa do mercado a sobra do troco que lhe foi entregue erroneamente; militantes da esquerda pedindo por mais direitos, mais favores, mais concessões, e menos deveres; pequenas cidades pelo país tendo como método eleitoral o coronelismo; movimentos rurais e urbanos invadindo propriedades privadas e instalando-se nestas como seus donos etc.

O caos instalado neste país está muito além da crise política e econômica. Está nas entranhas da sociedade. Está instalado no simples fato de não conseguirmos sermos honestos conosco, nosso indivíduo consciente, de reconhecer que não valorizamos e nem estudamos as propostas de campanha eleitoral. Estamos mais interessados nos galões de combustível, na cesta básica. De não reconhecermos que pessoas sem honra (este autor que vos escreve pode parecer antiquado para esta época, mas é desta maneira que vê o mundo) não são confiáveis para nada, muito menos para estar decidindo o futuro legislativo e executivo de nosso país, pois, querendo ou não, incide no nosso dia-a-dia diretamente.


Como consequência destes pontos, vemos antigos terroristas hoje no poder; vemos apoiadores de ditaduras, como a imposta pela Familiar Castro, ou pela URSS e pela China, tendo amplo espaço na política brasileira. A desinformação faz com que estes legisladores retirem todos os valores, pilar mestre de uma sociedade, de um país que demorou séculos para se erguer.

Estes senhores que chegaram ao poder, lá estão por propostas com viés sobre sexualidade, meio ambiente, luta de classes. Isto é o reflexo da falta de preparo por aqueles que votam. Necessitamos destes assuntos? Claro, mas em um momento mais oportuno. Vivemos a pior crise econômica das ultimas décadas, iniciada ainda em 2008, e após duas eleições estaduais e federais, e duas municipalistas, o votante ainda não percebeu que aqueles com propostas econômicas devem ser visados antes de aqueles com propostas sociais.

Porém, à frente de tudo isso, surge uma luz no fim do túnel. Nos últimos meses, vemos o renascimento de algo muito temido pela esquerda: a Direita! Esta, que traz, em muitas de suas vertentes, os valores de uma sociedade, a dignidade, a honra, o respeito, que no passado teve a oportunidade de livrar o país da “ameaça vermelha”, pode vir a ressurgir por vias democráticas, em um país que clama por ordem e progresso.

Quem sabe qual será a reação do povo a estes novos métodos de governança?! Desde a implantação da nova constituição, tivemos apenas governos de esquerda à frente do país. Será uma transformação morosa, sim, porém necessária. Se quisermos construir uma nação forte, precisamos de indivíduos fortes, pois o indivíduo forte tem orgulho de suas riquezas e de sua liberdade.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/