Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

[OPINIÃO] Os governos de esquerda sempre enriquecem bancos e elites


Por Pedro Augusto

Políticos e partidos de esquerda geralmente chegam ao poder por prometerem mais direitos aos trabalhadores, mesmo que nunca façam o que é exatamente um direito. Outro ponto que você vê em seus seus discursos e que está atrelada a proteção de quem trabalha, é o discurso raivoso contra as desigualdades e uma suposta elite que odeia ver "pobres andando de avião".

No entanto, o fato é: com governos populistas os bancos e um pequeno grupo de empresários são os que realmente saem ganhando, contando também com os políticos corruptos. Como pessoas que se elegem dizendo lutar contra os empresários capitalistas exploradores, conseguem justamente enriquecê-los? É mais simples do que você imagina. 

Para começar, governos de esquerda procuram sempre estimular a economia de seu país. Como? Abaixando as taxas de juros, que barateiam o crédito. Com isso, pessoas podem se endividar com mais facilidade e empreendedores podem investir para suprir os clientes. Com pessoas pegando mais empréstimo para investir é mais dinheiro para os bancos.

Ao passo que o mercado puramente privado começa a investir, o Estado por sua vez também estimula o mercado de seu país através de quaisquer áreas, seja de infraestrutura, construção civil etc etc. Este mesmo governo precisa gastar dinheiro para o setor do mercado que ele resolve estimular. E onde ele pega dinheiro emprestado? Nos bancos. Ponto para os bancos que tem mais alguém o devendo.

Não são apenas os bancos que saem lucrando. Para as áreas serem estimuladas, o governo precisará contratar empresas para fazer aqueles serviços. Ponto para essas "elites" que lucrarão muito, ainda mais porque a gente sabe que onde geralmente o Estado está, há corrupção e superfaturamentos. Se você quiser ver isso mais de perto veja como Friboi, Andrade Gutierrez e Odebrecht cresceram nos últimos anos. Nessa, ganham os políticos que se corrompem engordando suas contas bancárias pessoais e de campanha, além de um pequeno grupo de empresas. Ou seja: o governo criou uma "elite", que ele tanto criticava antes de estar no poder; minou a concorrência e criou monopólios.

Após um tempo chega a inflação. Para tentar controlá-la, o governo aumenta as taxas de juros. Com este aumento, a dívida estatal que já havia crescido para estimular a economia, cresce ainda mais. Com juros mais altos, mais lucros os bancos têm. Mais um ponto para os bancos. É bom notar que mesmo em meio a crise os bancos brasileiros não pararam de lucrar.

Enquanto os bancos e empresários associados ao Estado não param de lucrar, o trabalhador comum que os políticos tanto dizem proteger, estão com poder de compras corroído pela inflação e impostos (que geralmente aumentam para pagar os gastos do governo). Isso se a pessoa não ficar desempregada, por causa da desaceleração na economia causada pela diminuição do crédito.

No final de tudo, se alguém for protestar e criticar o governo é uma suposta "elite", que ninguém nunca diz exatamente quem é e que só quer ver os pobres se prejudicando. Geralmente quem protesta são pessoas que não tem associações com o Estado e que dependem que os mais pobres sejam prósperos para poderem gastar seus salários com investimentos destes protestantes.

Curta a página do meu site e tenha acesso a matérias de economia: https://www.facebook.com/meubolsonet/?fref=ts

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/