Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

A estratégia da esquerda que fez o MinC voltar


Por Pedro Augusto

O Ministério da Cultura voltou. Isso tudo me lembrou Saul Alinsky. Mas antes, quem é este homem? Foi um intelectual de esquerda norte-americano, um dos gurus intelectuais de Barack Obama e Hillary Clinton. Alinsky, que era gramscista, ou seja, apoiador de uma revolução cultural não-armada (como sugeriu Karl Marx), escreveu o livro Rules for Radicals. O livro foi dedicado a Lúcifer, como o "primeiro revolucionário da história" e lista 13 regras para a militância política.

Quero destacar essas regras: faça o inimigo viver de acordo com seu livro de regras. Expor o inimigo ao ridículo é a arma mais poderosa do homem. Mantenha a pressão - se você fizer uma acusação gravíssima, despedaçará a oposição.

Fizeram Temer viver conforme o livro de regras da esquerda, porque segundo eles, o Estado deve "prover cultura", e sem o governo a manutenção da cultura seria dificílima. Seria mesmo num país de vasta literatura, festas, músicas etc, que nunca precisaram de um centavo do governo? Para eles, o Ministério da Cultura é importante seja por qual motivo for e fizeram o governo viver conforme o livro de regras deles, ou seja, tem que ter ministério.

Quanto a expor o seu inimigo ao ridículo, é aquele "mimimi" chato de que este governo é dos banqueiros, das elites e que não se preocupa com a cultura do país, mesmo que os artistas cobrem caro pelos seus shows impedindo que pobres possam ir. É simplesmente acusar este governo de só se importar com os lucros dos banqueiros e não com os gostos e entretenimento da população.

Mantiveram a pressão. Usaram as redes sociais, mídias (aquelas que eles adoram criticar dizendo que faz apologia a Temer) para criticar a decisão, contando claro, com ajuda da militância anti-Temer, seja nas ruas ou no meio virtual para pressionar.

E a última é fazer uma acusação gravíssima. Já falei mais ou menos isso, mas retomando é simplesmente acusar o governo de não valorizar a cultura do país, muito diferente do que o PT fez, segundo dirão.

Temer já começou errando. Cedeu a pressão para agradar. A minha única expectativa quanto à ele é dar uma melhorada na economia, algo que com Dilma jamais aconteceria. A militância mais à esquerda pressionará, e muito, o presidente até ser ridicularizado, porque afinal de contas o PT quer voltar ao poder.

Não sei se conseguirão de fato, mas pelo menos já estão tentado. Enquanto o Ministério da Cultura volta para custar muito aos cofres públicos, a saúde e as escolas vão agonizando pelos cortes de verba. E sabe qual o mais interessante? Ninguém foi lá protestar. E a cultura nacional, que se fez sem ajuda de governos, continuará, mas só que servindo para encher o bolso de artistas. Ou pelo menos é para isso que eles lutam. E você banca isso com seus impostos e ainda paga caro pelos eventos deles.

A esquerda ainda está no poder

Por mais que Dilma não esteja no poder e o Congresso tenha retirado mesmo que temporariamente a presidente, o meio cultural ainda pertence à esquerda. Esses mesmos artistas que protestaram contra Temer usarão o dinheiro do MinC para fazer campanha contra o presidente em exercício. Eles estarão nas manifestações, seja apoiando ou de corpo presente, na mídia, nos debates, nas universidades, nas escolas, nas redes sociais ou em qualquer lugar fazendo pressão para Temer cair e a esquerda voltar ao poder.



Por que são assim? Bem, você pode ter reparado o terrorismo eleitoral do PT nas eleições de 2014. E é assim que eles se mantém no poder. São invencionices de que sem eles a educação será privatizada, o SUS terminará, que a reforma na Previdência é para tirar dinheiro dos aposentados, falarão que estamos a serviço dos banqueiros, do "neoliberalismo", que programas sociais acabarão, enfim... A esquerda nesses últimos anos conseguiu construir a imagem de que certas coisas só serão mantidas se eles estiverem no poder. E para eles voltarem seja neste ano ou em 2018, voltarão com o terrorismo eleitoral, usarão destas estratégias que falei e contarão meias verdades.

A volta do Ministério da Cultura foi o primeiro exemplo, já que quiseram mostrar que com o PT a "cultura nacional foi valorizada", mesmo que na prática poucos artistas apoiadores do PT sejam os beneficiados. A pressão já começou e a esquerda fará de tudo para voltar ao poder. Eu não duvido que Temer aos poucos faça parte de seu governo de acordo com as regras da esquerda.

Aguarem que vem mais pressão por ai.

Curta a página do meu site e tenha acesso a matérias de economia: https://www.facebook.com/meubolsonet/?fref=ts

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.