Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

6 dados econômicos que pioraram com Barack Obama

Por Pedro Augusto

Embora os noticiários passem uma boa imagem da gestão econômica de Barack Obama, muitos números de seu governo são um tanto preocupantes a trarão consequências ruins para o futuro. Vai uma pequena lista de 6 fatos sobre a economia dos EUA que mudou para pior, durante estes últimos 7 anos.



1) Aumento da dívida pública 

Desde que Obama chegou à presidência em 2009, a dívida não parou de crescer chegando praticamente a dobrar com valores atuais de US$ 19 trilhões. Este foi o maior aumento da dívida norte-americana de toda a historia.

 2) Queda na liberdade econômica 

Embora os norte-americanos ainda sejam dignos de causar muita inveja nos liberais brasileiros neste quesito, desde a posse de Obama, os EUA caíram da 6° economia mais livre do mundo para a 11°. Para Anthony B. Kim, do Heritage Foundation, a queda é conseqüência dos aumentos de gastos do governo, subsídios e resgates de empresas.

3) Mais taxas para as empresas 

Hoje os impostos para grandes empresas nos EUA é o maior dos chamados países de primeiro mundo. Isto impulsionou novos postos de trabalho em outros países, que diminuiu o número de empregos para os norte-americanos. Quedas de salários e queda no desempenho da economia do país. 

4) Aumento da burocracia 

Desde 2009, foram criadas 180 novas regulações federais que custam anualmente US$ 80 bilhões. 

5) Aumento da carga tributária 

Da posse de Obama até 2014, que são os últimos dados disponibilizados pela OCDE, a carga tributária aumentou em todos os anos, chegando a 25,4%.

6) Aumento da pobreza 

De acordo com o think tank norte-americano American Enterprise Institute, nestes últimos 7 anos o número de pessoas na pobreza voltou a aumentar, chegando hoje a 14,8%. Quase o mesmo número que em 1993.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/