Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Veja as consequência para os EUA se Hillary Clinton for eleita

Por Pedro Augusto

Caso a pré-candidata à presidência dos Estados Unidos Hillary Clinton seja escolhida a candidata pelo Partido Democrata, tenha a total certeza que a mídia brasileira apoiará, mesmo que indiretamente, sua eleição, sempre isentando-a de criticas e nem citando que o FBI anda em sua cola.

Esta publicação é um alerta para todos aqueles que acompanham a política norte-americana, já que os noticiários brasileiros retiram muitas matérias do jornal The New York Times, que já declarou apoio público a candidatura da ex-primeira dama




O think tank norte-americano Tax Foundation fez um estudo apontando as consequências das propostas de Hillary caso sejam colocadas em práticas. De todas, é bom destacar uma sobretaxa de 4% sobre os lucros de mais de US$ 5 milhões; imposto mínimo de 30% para aqueles com renda superior a US$ 1 milhão; aumento das taxas sobre os ganhos de capital de médio prazo para entre 27,8% e 47,4%; aumento da taxa de imposto de propriedade para 45% e redução da isenção deste tributo para US$ 3,5 milhões, além de outros impostos e medidas que você pode notar conferindo o estudo.

As conclusões foram que, ao invés de se aumentar a receita fiscal para US$ 498 bilhões em 10 anos, como é o previsto, a arrecadação seria de US$ 191 bilhões neste período; diminuição na produção econômica; redução do PIB em 1%; queda em 0,8% da renda e de 2,8% nos investimentos, além 311 mil a menos de postos de trabalho.

Ou seja: ela traria sérios problemas para os Estados Unidos, já que ao se tributar mais, diminui-se o poder de compra, investidores e empresários podem fugir do país, produtos ficariam mais caros porque os impostos seriam repassados para os consumidores.

Será o assunto do próximo post do site, mas saiba que aumentar impostos sempre leva a uma fuga de empreendedores, que geram empregos, renda e arrecadação tributária através de suas mercadorias.

Será que os comentaristas dos meios de comunicação brasileiros sabem dessa?

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.