Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Use o preconceito para arrecadar votos


Por Christian Gonzaga

Logo após as eleições para presidente no ano de 2014, o interesse político por parte da população aumentou significativamente. Entretanto, o que deveria ser motivo para se comemorar não é, visto que tal fascínio político está acompanhado de belos e grandes cabrestos.

Tal interesse aumentou tendo como base o populismo e o comodismo, outrossim a ignorância. Portanto, como celebrar a ignorância? Não se faz plausível comemorar o crescimento da atuação política quando a população ainda permanece bajulando políticos corruptos apenas porque estes lhes oferecem privilégios.

É vergonhoso ver o povo que se diz tão "alfabetizado politicamente" se render a discursos prontos como: "Faço isso pelo povo..." ou "Faço isso pelo trabalhador pobre, negro, favelado e oprimido...", ou seja, se preocupam mais com quem irá debater em cima da teoria "eu cuido do povo" a analisar quem tem melhor proposta para a atual situação econômica e social do país. Pergunto-me se em algum momento estes "alfabetizados-políticos" realmente procuraram estudar o discurso de cada governante, principalmente daqueles a quem apoia. Porque se de fato o tivessem feito não os teriam elegido.

Para fomentar ainda mais o discurso populista dos nossos atuais governantes, foi criada a ideia de que em tudo há preconceito e opressão. Ora, quem ainda não foi acusado de agir com racismo, machismo, sexismo, homofobia, xenofobia ou qualquer outra coisa que inventam, está com sorte. Estas ideias de que em tudo há um pouco de discriminação foi perfeita para fortalecer alguns políticos, principalmente aqueles que se encontram à esquerda.

Discursos que pregam o fim do preconceito já são maravilhosos, mas junte a isso uma pseudo-luta social, como Marx fez fantasiando uma batalha entre Empregador x Empregado, vá além e acrescente Brancos x Negros; Ricos x Pobres; Público x Privado e Homem x Mulher.

Há atitudes machistas, racistas, homofóbicas e etc em nosso mundo? Com toda certeza que sim; contudo isto se torna mais problemático quando é usado como forma de obter votos. Ou vão me dizer que até hoje nenhum político se aproveitou de um fato em que se encontravam um desses assuntos e em cima destes discorreu sua campanha política em pelo menos 50% dela?

Observe a esquerda política, a qual se diz uma das maiores lutadores contra o preconceito. Apesar de gritar e bater no peito sobre esta posição, não é o que fazem, visto que no caso prático criam casos de racismo onde não existe nenhum. Vide o acontecimento deste carnaval, onde os pais de uma criança foram obrigados a suportar paranoias de ativistas que os acusavam de serem racistas, por simplesmente vestirem seu filho de Abu, o melhor amigo de Aladim, personagem da Disney.

Portanto, o que ocorre atualmente é que os ativistas têm se tornado os verdadeiros preconceituosos. Entretanto, não entrarei neste mérito, pois isto já fora debatido em outro artigo.

Desta forma, o uso do preconceito para obtenção de votos apenas mostra o quão preconceituoso é o governante. No mais, auxilia em sua permanência, visto que no Brasil apenas são eleitos políticos populistas e estes utilizam-se de qualquer meio para ludibriar o povo, até mesmo aqueles que se dizem tão inteligentes.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/