Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Quem sai perdendo com direitos iguais entre homens e mulheres?


Por AS Filho

Muitas feministas, mesmo aquelas menos radicais, falam que não são contra os homens, lutam apenas a favor de direitos iguais. Ou seja, afirmam que mulheres têm menos direitos que homens. Mas uma pergunta sempre me faço: se igualassem os direitos entre homens e mulheres, quem sairia perdendo? As mulheres, claro. Sigam o raciocínio:

     1. 90% das brigas judiciais por guarda de filhos são ganhas por mulheres;
     2. Segundo relatório da OMS, de cada 11 mortes por violência, 10 são de homens;
     3. Segundo o site iG-Educação, homens são minoria nas universidades ocupando somente 40% das matrículas;
     4. Homens não possuem dia internacional;
     5. Homens não possuem hospitais especializados em atendê-los, enquanto mulheres tem o Hospital da Mulher.
     6.  Homens são 80% dos moradores de rua e cometem 80% dos suicídios;
     7. Servir ao exército é obrigatório somente para os homens;
     8. Homens tem que trabalhar cinco anos a mais para se aposentar e morrem oito anos antes que as mulheres em média;
    
     Querem mais?
                                            
     10.  Vocês acham justo que homens sejam 95% da população carcerária do país?
1   11.  Não muito recente foi aprovado no senado que teremos cotas para mulheres entrarem na política;  
    
     Pensem comigo, caros leitores. Percebe-se nitidamente quem sai perdendo nesses aspectos acima listados. Mas só um desses chora por mais “direitos”. Percebemos que há uma clara desigualdade na distribuição desses direitos. Por esses e outros vários motivos que não respeito e rebato arduamente os posts e comentários de “feminazis” (para feministas radicais que não se depilam) e feministas (menos radicais, mas que na dúvida sempre apoiam as radicais, ou seja, Maria Vai Com as Outras). 

     Só vou concordar com elas quando elas deixarem de defender pautas absurdas como estamos acostumados a ver e começarem a bater nas desigualdades listadas acima. Ou quando começarem a se revoltar contra um mal que se alastra cada vez mais forte pelo mundo, que é o Estado Islâmico e a cultura do Islã, que trata mulheres como escravas e estuprando muitas pela Europa. Mas claro que elas não vão ser contra outra minoria, né? É contra o espírito coletivista das feministas. Uma minoria deve apoiar outra contra a cultura ocidental.
     
     Se você é feminista ou defende quem é, reflita bem e pense como você é mal vista por uma pessoa como eu, não pelo fato de ser feminista, mas pelo fato de defender ideias totalmente equivocadas como essas:
     
     1.      Todo homem é um estuprador em potencial;
     2.      Meu corpo minhas regras (usado pra justificar aborto)
     3.      Homens ganham mais que mulheres em cargos ocupando as mesmas tarefas.
     
Que deixarei pra rebater em outro artigo futuro, pois ultrapassarei a quantidade de caracteres para uma leitura agradável.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.