Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

A mais importante das minorias


Por Pedro Venâncio

Atualmente é moda levantar bandeiras em defesa de minorias. Os grupos minoritários supostamente defendidos são vários. De mulheres passando pelos negros e até mesmo gordos (sim, existe coletivos de defesa dos direitos dos gordos). Tais grupos no fim das contas somente servem aos interesses partidários e ideológicos. A defesa do grupo de minoria fica somente como fachada para acobertar as intenções coletivistas de tais grupos que, ao dividirem a população entre opressor e oprimido, fomentam conflitos, desestabilizam a sociedade e principalmente ajudam na expansão do Estado.

No meio de tantas minorias “defendidas” por diversos movimentos, uma está esquecida e ignorada. Este artigo sairá em defesa desta minoria menosprezada pela galera engajada da justiça social. Você sabe quem é esta minoria desprezada em pleno auge da moda? Não responda agora, continue lendo.

Esta minoria desdenhada atualmente é a mais importante de todas. Ela fez e faz coisas incríveis. Basta você olhar ao redor e verá que tudo que foi criado, construído e descoberto é obra dela. É meio difícil descrever esta minoria pois ela não é homogênea e simples como o pessoal de esquerda pensa, na verdade ela é diversa e complexa demais.

Ao longo da história, essa minoria viu suas liberdades serem conquistadas e reconhecidas, mas também viu e viveu violações e abusos cruéis. Muitos morreram devido a pessoas e ideias claramente contra esta minoria e que pensavam somente no “coletivo”, como se a sociedade pudesse ser dividida em grupos homogêneos nos quais todos são exatamente iguais, ignorando as especificidades de cada um, esmagando esta minoria e reduzindo-a a meros grupos padronizados onde a personalidade da pessoa depende de qual clã ela integra.

Agora, voltando a pergunta inicial: a minoria defendida aqui é você, eu e cada ser humano habitante deste mundo. A menor minoria da terra é o indivíduo, como dizia a ilustre escritora Ayn Rand. Se esta unidade mínima não for respeitada, ninguém será. O grande problema da esquerda e sua mentalidade coletivista é justamente tratar as pessoas como se elas fossem tão somente reflexo do grupo no qual estão, como se fossem robôs sem personalidade e particularidades específicas.

Antes de levantar a defesa de qualquer minoria, é fundamental defender o indivíduo respeitando suas peculiaridades e suas características. O respeito a qualquer indivíduo somente é possível se ele for livre e independente sem ser cooptado, manipulado ou reprimido por coletivos ou pelo Estado que o iludem com belos discursos, mas apenas desejam usá-los para buscar mais poder político.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.