Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

A nova cara das pessoas racistas


Por Christian Gonzaga

Há tempos o ser humano possui em si uma doença gravíssima, a qual aparentemente não tem cura e está longe de ser extinta. Essa patologia faz com que o indivíduo veja uma pessoa ou outra de formas distintas. Ou seja, as divide de algum jeito, enaltecendo uma e desmerecendo outra pelo simples fato de possuírem uma diferença: a cor da pele.

O racismo é algo que infelizmente ainda existe no século XXI. Estranho, pois os povos deste século já estão bem mais evoluídos que dos anteriores. Contudo, um "novo" tipo de racista emergiu nesta década e é perigoso tanto quanto o “racista comum”.

Ora, o "novo racista" é aquele que acha correto um povo ter mais privilégios simplesmente por possuir mais melanina que outro. As justificativas são as mais esdrúxulas: “o povo sofreu há tempos, vocês tem ‘dívida história’”; “esse povo sofre até hoje o racismo maçante do outro”, etc.

Este racista é um ator (atriz), pois consegue mascarar sua vontade de agir com violência contra aqueles que acusa de ser os devedores históricos, mesmo que esse "devedor" nunca tenha praticado um ato sequer de preconceito. O lado selvagem deles é reprimido até certo ponto. Contudo, quando se encontram em bando sentem-se mais seguros e externam seu animus violento quebrando coisas, levantando cartazes com frases absurdas e até mesmo agredindo pessoas (verbal ou fisicamente).

Ademais, a justificativa mais absurda dada por este grupo é a da “dívida histórica”. Na teoria deles, o recém-nascido branco “deve historicamente” a um idoso negro, mesmo que o bebê não tenha discernimento para saber o que é certo ou errado.

Você, leitor, é branco(a)? Namora ou é casado com um(a) negro(a)? Se as repostas às indagações forem positivas, então sugiro que tente ver com seu (sua) parceiro(a) se é possível parcelar a dívida. E também veja qual o valor, pois os “neo-racistas” a deixaram em aberto. É possível que a quantia varie de pessoa para pessoa.

Cômico, senão trágico, pois um pensamento tão absurdo como esse apenas demonstra quão racista a sociedade ainda é e que está apenas piorando. Aquele que realmente acha que um branco deve a um negro por aquilo que não o fez e menos ainda sofreu, não é nada mais que um racista, porém não admite.

Portanto, aquele que vê diferença de qualquer forma entre uma pessoa e outra pelo simples fato dela possuir mais ou menos melanina, é racista. Quem pensa que um povo deve ter leis que o privilegiam pelo fato de possuir menos ou mais melanina, é racista. Quem acha que um povo possui dívidas históricas com outro, é extremamente racista.

O atual problema é que estes racistas não admitem isso, porém apontam o dedo para terceiros alegando que esses sim são racistas, enquanto eles são guerreiros que lutam contra esta doença. No mais, são vistos, principalmente pela esquerda política brasileira, como seres que lutam contra qualquer tipo de discriminação, mesmo que usem da mesma para concretizar sua “luta”. Aliás, quando que os esquerdistas apoiam algo decente?

Frise-se que o combate à discriminação não será vencida utilizando-se da mesma. Perceba que: leis privilegiando determinada raça, discursos de ódio baseados, p. ex., em dívidas históricas, são atitudes racistas. Menos ainda se combaterá este mal "deixando de falar dele". O racismo apenas será, de fato, desmantelado quando pararmos de enxergar pessoas negras ou brancas, e vermos unicamente indivíduos.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.