Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Senador convida produtores rurais para apoiar caminhoneiros em favor do impeachment da Dilma


Após o governo federal divulgar medida provisória que endurece as punições aos caminhoneiros que interditarem rodovias pelo país, a Aliança Nacional dos Movimentos Democráticos divulgou um vídeo na sua página oficial do Facebook como resposta. Nela, aparece o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO) ao lado de representantes da Aliança e do movimento dos caminhoneiros convidando os produtores agrícolas a aderirem as manifestações que acontecem pelo Brasil.

"O que eu quero nesse momento é pedir aos meus amigos produtores rurais, desse Brasil todo. Prestem atenção. Nós estamos sabendo o momento que o Brasil está vivendo. Todos nós estamos assistindo. É um desgoverno completo. Eu peço a vocês solidariedade, minha gente. O produtor rural precisa dar apoio a este momento, a esses brasileiros que tiveram a coragem de ir para a rua e dizer "Fora Dilma". Ninguém apoia mais esse PT de tanta desilusão a nossa nação. Contribua, apareça. Leve sua máquina agrícola para estar junto com eles na mobilização", disse Caiado no vídeo.

LEIA MAIS

O senador afirmou que a Constituinte de 1988 impediu que as terras agrícolas fossem estatizadas para comparar a crise daquela época com a atual. Ronaldo Caiado chamou a MP publicada na última terça de "venezuelana", "bolivariana" e "truculenta". Anunciada pelo ministro da Justiça José Eduardo Cardozo, a medida prevê aumento da multa para quem fizer bloqueios, que deixa de custar R$ 1.915 e sobe para R$ 5.746. No somatório das multas que podem ser aplicadas aos organizadores das manifestações dos caminhoneiros, o valor pode atingir R$ 19.154.

"Não é possível imaginar o Brasil indo para o abismo por mais três anos e todo mundo calado, de braço cruzado, com medo de assumir uma posição nessa hora. Eu conclamo a vocês que conheço bem. Nós já tiramos o Brasil da crise na Constituinte. Não deixamos com que o governo estatizasse as terras desse país, defendemos o direito à propriedade. Agora nós temos que defender a democracia. O que fizeram com esses caminhoneiros, a Medida Provisória, é uma medida venezuelana, uma atitude bolivariana, truculenta. Quem interrompe estrada como o MST, eles perdoam tudo e nada veem. No momento em que, cidadãos de bem, que estão trabalhando, vão fazer a sua greve, são recebidos dessa maneira", declarou o senador.

Os caminhoneiros possuem uma série de pautas relacionadas à categoria. No entanto, o motivo pelo qual seus organizadores apontam como principal para a mobilização é a queda da presidente Dilma Rousseff, do PT.

GOSTOU DESSA NOTÍCIA? ENTÃO CURTA NOSSA PAGE!

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.