Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

O país com mais homicídios é o Brasil, mas não se preocupem: o carnaval está chegando

Por Benjamin Lopes

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) o Brasil é o país com mais homicídios no mundo. Com 64 mil homicídios por ano, superamos a Colômbia, África do Sul, e até mesmo os EUA que tem 308 milhões de habitantes enquanto o Brasil tem 205 milhões.


Não temos uma Charlie Hebdo Brasil, mas caso tivéssemos seriamos motivo de piada também. Recentemente, a revista polêmica satirizou o atentado em Paris usando a seguinte frase "Eles têm armas. Que vão à m.., nós temos champanhe", no Brasil a frase não seria muito diferente ao referir-se aos criminosos comuns e aos terroristas.

A critica seria válida uma vez que os países mais seguros do mundo não têm política de desarmamento, contrariando o atual governo brasileiro e os governos ditatoriais como o cubano e o venezuelano. A Islândia é exemplo de como as armas estão presentes em países seguros, o país com cerca de 300 mil habitantes possuí cerca de 90 mil armas e é o mais seguro do mundo segundo o Instituto de Economia e Paz. Outro exemplo é a Suíça, em quinto lugar entre os países mais seguros do mundo e com 8 milhões de habitantes tem cerca de 2 milhões de armas entre os cidadãos.

Contrariando os países desenvolvidos e seguros...

Indo contra a política dos países como a Suíça e a Islândia, o Brasil adota uma postura semelhante aos países ditatoriais que não são exemplares em gestão pública e democracia: Cuba e Venezuela.

Os dois últimos países citados acima têm amor pelo desarmamento desde que assumidos por ditaduras rigorosas, em Cuba com a família Castro e na Venezuela com Maduro. Um dos primeiros atos do governo Castro foi retirar as armas dos civis comuns, logo após isto a censura e as perseguições políticas começaram; na Venezuela, em 2014, a política de desarmamento tomou força, e agora o Nicolás Maduro (presidente ou ditador da Venezuela) disse publicamente que não abandonará o governo democraticamente e usará inclusive de força militar contra os opositores (caso não ganhe as eleições).

"Vamos ganhar a disputa eleitoral. Mas caso se desse a hipótese rejeitada, transmutada e sepultada [de uma derrota], eu estou cerebralmente, espiritualmente, politicamente e militarmente para assumi-la. E me lançaria às ruas"
(Nicolás Maduro)

O Brasil tem como esperança o fim do Estatuto do Desarmamento. Segundo o especialista em Segurança Pública Bene Barbosa, este estatuto é uma farsa prejudicial a sociedade brasileira. Os cidadãos honestos ficam desarmados e expostos aos criminosos armados.



A revogação da política de desarmamento não apenas possibilitará mais uma forma de defesa aos cidadãos, mas também retirará o país do caminho adotado por ditaduras (potencializando a segurança da democracia brasileira).



Mas não devemos ficar atentos com os passos do governo, afinal, o carnaval está chegando!


Fontes:
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/10/151019_desarmamento_porte_lk
http://www.valor.com.br/internacional/4318850/maduro-ameaca-resistir-vitoria-opositora-na-eleicao-na-venezuela
http://www.defesa.org/breve-historia-do-desarmamento-parte-3-controle-de-armas-no-mundo-comunista-o-leste-europeu-e-cuba/
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2013/05/130527_islandia_crime_lk
http://www.mvb.org.br/noticias/index.php?&action=showClip&clip12_cod=1732
http://www.arearestrita.info/2015/08/curiosidades-sobre-paises-mais-seguros-do-mundo.html
http://g1.globo.com/politica/noticia/2015/07/brasil-teve-em-media-143-assassinatos-por-dia-em-2014.html
http://noticias.terra.com.br/mundo/europa/charlie-hebdo-satiriza-atentados-em-paris-em-capa-de-edicao,b660c1b4e9ad46d308e3f423f0733edfd8xynkcc.html
http://www.ibge.gov.br/apps/populacao/projecao/
http://g1.globo.com/globo-news/noticia/2014/12/brasil-tem-o-maior-numero-absoluto-de-homicidios-do-mundo-diz-oms.html

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/