Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Ex-prefeito do Rio de Janeiro vê crescimento da direita no mundo e relaciona queda da esquerda à corrupção


O ex-prefeito do Rio de Janeiro Cesar Maia escreveu em seu blog uma análise política na qual observa o crescimento da direita no mundo. O político do DEM afirma no artigo que a direita venceu eleições em Portugal, Polônia, Guatemala e Bogotá, na Colômbia. Maia cita ainda que a votação de Maurício Macri, na eleição presidencial da Argentina, surpreendeu a todos. Ele também usa o PT como exemplo para falar de corrupção.

A disputa no país do tango indicava nas pesquisas que Macri faria entre 29% e 32%, enquanto o candidato Daniel Scioli, apoiado pela presidente Cristina Kirchner, venceria, só restando a dúvida se conseguiria ou não o percentual necessário para fechar no primeiro turno. O que aconteceu foi que Maurício Macri chegou com 34,33% contra 36,86% do concorrente kirchnerista. E agora os dois se enfrentam no segundo turno, que será decidido no dia 22 de novembro, com ligeira vantagem para o liberal Macri, da coligação de centro-direita "Cambiemos", por conta do seu crescimento.

Na sua análise, Cesar Maia afirma que a principal causa para o crescimento mundial da direita sobre a esquerda são os casos de corrupção. O ex-prefeito carioca observa que na Guatemala um comunicador de televisão derrubou o seu adversário de esquerda com uma campanha voltada para o combate a corrupção, e que em Portugal e na Polônia os anteriores chefes de governos foram presos por escândalos dessa natureza.

Maia não chega a afirmar que corrupção é uma marca apenas dos políticos de esquerda, mas ele diferencia a forma como desvios acontecem entre esquerdistas e direitistas. O político do Rio de Janeiro afirma que quando alguém da direita rouba, o crime fica individualizado e não se perpetua no partido, pelo fato da direita não possuir uma militância orgânica como a esquerda. Cesar Maia utiliza o Brasil e o PT como exemplos, destacando que não apenas nas manchetes da imprensa tradicional, como nas críticas e piadas feitas nas redes sociais, não é apenas o político petista A ou B que aparece como alvo, mas todo o Partido dos Trabalhadores.

Cesar Maia conclui sua análise afirmando que a esquerda brasileira não terá tempo suficiente, até 2016 (quando os eleitores escolherão prefeitos e vereadores), para reverter esse fenômeno mundial de crescimento da direita. Maia diz ainda que o PT não conseguirá esconder o nome do partido, que está com a imagem arranhada, justamente porque a intenção petista é lançar Lula para concorrer novamente a presidência em 2018.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.