Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Deputado que ameaçou MBL já prestou depoimento na Lava Jato


O deputado Sibá Machado (PT-AC), que reagiu com descontrole a presença de membros do Movimento Brasil Livre na Câmara dos Deputados, ameaçando "juntar pessoas para ir para o pau", já foi depoente do Operação Lava Jato. Em julho deste ano, Sebastião Sibá Machado Oliveira afirmou ao juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, que não teve contato próximo com o ex-tesoureiro do Partidos dos Trabalhadores, João Vaccari Neto. Vaccari é acusado de intermediar repasses das empreiteiras contratas pela Petrobras para os caixas do PT.

O motivo pelo qual Sibá prestou tal depoimento se deve ao fato do líder do PT na Câmara ter sido arrolado como testemunha de defesa de Vaccari. O deputado foi ouvido pelas autoridades por videoconferência se limitou a dizer que seus contatos com Vaccari Neto sempre foram em "reuniões oficiais do partido". Além disso, na ocasião, o parlamentar do Acre afirmou que o ex-tesoureiro era um homem "sério, honesto e firme" em suas convicções.

No site "Notícias Acre", há uma reportagem dando conta que Sibá Machado teria recebido R$ 120 mil de doações das empresas Construtora OAS e Engevix Engenharia, que são alvos de investigações na Operação Lava Jato. De acordo com os dados oficiais do TSE, Sibá recebeu ao todo, somando todas as doações, R$ 399 mil para sua campanha a deputado federal.

No dia 27 de outubro, o líder do PT na Câmara foi personagem central de uma notícia bastante infeliz para a nossa democracia. Ao gritos de "vagabundos" e com ameaças de juntar pessoas para "ir para o pau", ele confrontou a presença de integrantes do Movimento Brasil Livre que haviam estendido uma faixa com os dizeres "Fora Dilma" no local destinado ao público no plenário da Câmara dos Deputados.

Um dia depois, membros do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto comparecem ao acampamento onde estão alguns grupos contrários ao governo de Dilma Rousseff, em frente ao Congresso, em Brasília, e entraram em confronto com os acampados. Uma senhora do MTST chegou a usar um palito para furar as costas de um dos manifestantes.

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/