Expresso News

[expresso-news] [twocolumns]

Colunistas

[colunistas][bleft]

Entrevistas

[entrevistas] [twocolumns]

Economia

[economia] [bsummary]

Onde estão os brasileiros?


Por Jean Carlos Rodrigues

BRASIL UM PAÍS DE TODOS! 

Quem não se lembra desse famoso slogan do governo brasileiro? A famosa frase cujo objetivo é reforçar a noção de nação, um país de todos os que o pertencem, um “verdadeiro Imperium Paternale”, em outrora alienou muitas pessoas que se viam satisfeitas e em ascensão de classe econômica/social. Porém, com a crise que corroeu nossos bolsos, aqueles que estavam acomodados criticaram; os que viviam alienados passaram a criticar e assim a maioria da população brasileira foi às ruas reivindicar uma solução e até mesmo a renúncia da Presidente "Dilmãe".

Quando a água bate na bunda é que percebemos o prejuízo... A população brasileira vive em parte entocada “dentro de suas comodidades oferecidas pelo governo” e muitas vezes não abre os olhos para os verdadeiros problemas nacionais e de suma importância. Por que a população realmente não clama por uma mudança? Alguns diriam que é pelo mesmo fenômeno que causou desconfiança na população argentina no processo de encaminhamento dos seus votos na eleição para presidente que teve como resultado o candidato à presidência Maurício Macri, ou seja, o receio da perda de direitos sociais.

Pois não podemos negar que o Brasil é quase campeão em medidas sociais adotadas pelo Estado para a população, como programas sociais etc. Em parte, sabemos que tais programas não podem ser julgados, pois realmente auxiliam a população. Porém, por outro lado, acomodam-na, e fazem com que atrofiem as suas capacidades, sem contar a quantidade de impostos, crises e demais problemas que surgem com tais atitudes.

Foi possível perceber a inércia da população quando a crise começou a afetar os lares, pois, consequentemente, só a partir daí a mesma começou a ir para as ruas. Afinal de contas, quem reclama de barriga cheia? O problema é que agora diversos âmbitos foram afetados, como a educação, saúde, segurança e demais serviços “ofertados” pelo governo e, se antes a população estava “acomodada”, agora terá que trabalhar para pagar “as férias” tiradas, pagando impostos, contribuições, taxas etc. Tudo tem um preço.

É incrível como o que a maioria da população conhece é apenas o que é apresentado na televisão. Vemos a grande polêmica que atentados terroristas e acidentes por má administração causam. Porém, é difícil vermos uma massa de pessoas comentando nas redes sociais sobre a crise financeira, ou as polêmicas envolvendo o governo etc.

Cidadão é aquele(a) que é politicamente ativo(a). O famoso ditado "política não se discute" deve cair por terra, pois, se não discutimos a política, ou melhor, não nos interessamos por ela, somos governados por aqueles que se interessam. E muitas vezes tais governantes podem ser um verdadeiro pesadelo. E o pior, déspota de primeira. Indivíduos conscientes de sua influencia na sociedade são mais eficientes no que diz respeito a uma transformação do modo de vida, das condições de existência sociais.

Conclusão: qual o meu verdadeiro objetivo ao escrever este texto? Fazer com que você, leitor(a), reflita não apenas em questões ofertadas pela mídia, mas sim escondidas por ela. Pesquise e critique. Seja cético no que diz respeito às propostas realizadas pelos governantes que não são de confiança e, finalmente, lute por um Brasil melhor, Livre e em progresso (como inscrito em nossa bandeira).

Curta nossa page no Facebook

Nenhum comentário:

Os comentários ofensivos e anônimos serão apagados. Daremos espaço à livre manifestação para qualquer pessoa desde que não falte com o respeito aos que pensam diferente.

http://www.ocongressista.com.br/